Valores

Relações sexuais dolorosas após o parto

Relações sexuais dolorosas após o parto


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

É muito comum em nossas consultas de obstetrícia que as mulheres compareçam por coitalgia (dor durante a penetração) pós-parto. Freqüentemente, quando questionadas diretamente sobre sua vida sexual após o parto, elas a descrevem como irritante, ardente, desconfortável e, mesmo para muitas mulheres, é quase impossível ter penetração.

Temos que nos lembrar disso a relação sexual é desencorajada durante a quarentenae, passado esse período, podemos retomar as relações sexuais plenas, embora já saibamos que a libido no puerpério é bastante baixa.

Para mulheres muitas vezes têm medo de retomar a relação sexual após o parto vaginal, seja porque teve uma laceração, uma episiotomia ou simplesmente porque notou a área 'estranha'. Esse medo deixa a mulher tensa, e a tensão pode aumentar a sensação de dor durante o relacionamento. Este 'vaginismo', que nada mais é do que a contração involuntária do assoalho pélvico, pode levar à impossibilidade de ter relações sexuais, e que entremos em um 'ciclo de dor', que deve ser tratado o mais rápido possível.

Um estudo recente realizado na Austrália indica que 9 em cada 10 mulheres sentem dor na primeira vez que têm relações sexuais após o parto e quase 25% continuam a sentir dor após 18 meses.

Além disso, o estudo revela algumas coisas surpreendentes como que aquelas mulheres que deram à luz por cesárea ou instrumental tiveram relações sexuais mais dolorosas (em relação às mulheres que tiveram parto vaginal), e que o momento de retomada das relações sexuais com penetração (em 6 semanas ou em 3 ou 6 meses) não influenciou a dor: quase todas as mulheres sofreram. Tudo isso é ampliado se a mulher sofreu abuso sexual em algum momento de sua vida.

O estudo publicado por Brown e sua equipe é endossado pelo American College of Obstetricians and Gynecologists, ACOG.

Posto isto, gostaria de salientar a importância de a mulher procurar a parteira ou o fisioterapeuta especializado em obstetrícia e ginecologia para ser avaliada caso ocorram as situações acima descritas, e submeter-se a tratamento de reabilitação para retomar relações sexuais satisfatórias. É imprescindível que não nos acomodemos, uma vez que não deve ser entendida como um 'efeito colateral' da maternidade, na maioria das vezes ela tem tratamento; Isso pode acontecer com o simples uso de lubrificantes vaginais, com massagem na área da cicatriz (se houver rompimento ou episiotomia) ou reabilitação.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Relações sexuais dolorosas após o parto, na categoria Pós-parto no local.


Vídeo: COMO FICA O SEXO APÓS O PARTO? (Julho 2022).


Comentários:

  1. Faubei

    Peço desculpas, mas, na minha opinião, você não está certo. Sugiro que discuta. Escreva-me em PM, comunicaremos.

  2. Zulkisho

    Desculpe, não posso ajudar em nada. Mas é certo, que você encontrará a decisão correta. Não se desespere.

  3. Abd Al Hakim

    Eu gostei de tudo

  4. Shaktit

    Eu recomendo encontrar a resposta para sua pergunta no google.com

  5. Broc

    É agradável, este pensamento muito bom tem que ser precisamente de propósito



Escreve uma mensagem